26 de maio de 2022

Nova York diz que homem que alugou van é suspeito de ataque ao metrô

Por

As autoridades policiais de Nova York confirmaram na manhã desta quarta-feira (13) que Frank James é considerado suspeito de ser o atirador de um ataque a tiros realizado na terça em uma estação do metrô da cidade. A ação deixou ao menos 23 feridos, sendo 10 baleados.

James teve a identidade divulgada em uma entrevista coletiva horas após o ataque, mas sendo classificado apenas de “pessoa de interesse”, não um suspeito direto. Sua possível conexão com a ação foi estabelecida por ele ter alugado uma van de mudança cuja chave foi encontrada na estação —o veículo estava a poucos quarteirões do local, mas vazio.

O prefeito de NY, Eric Adams, disse nesta quarta que James continua foragido, mas que acredita que a polícia logo prenderá o suspeito —redes de TV chegaram a noticiar a prisão, informação que foi negada pelo político. “Vamos capturar esse homem, levá-lo à Justiça e responsabilizá-lo por esse ato horrível”, afirmou à CNN.

Mais tarde, em outra entrevista, ele informou que as investigações iniciais apontam que James aparentemente agiu sozinho e não teria outros ataques planejados.

Segundo Adams, dos 23 feridos na ação 4 continuam hospitalizados —ele não deu detalhes sobre o estado de cada um. Além dos baleados, a ação registrou pessoas feridas com estilhaços, quedas e inalação de fumaça, por exemplo. Nenhum corria risco de morrer, segundo a comissária do Departamento de Polícia de Nova York, Keechant Sewell.

A governadora do estado, a democrata Kathy Hochul, afirmou que o incidente não estava sendo investigado como ato terrorista, mas que nenhum motivo poderia ser descartado. O jornal The New York Times publicou um perfil de James nesta quarta, com base em relatos de ex-vizinhos que o definiram como um homem rude, frio e solitário.

O ataque ocorreu pouco antes de 8h30 desta terça (horário local), quando o atirador lançou bombas de fumaça no vagão e em seguida disparou ao menos 33 vezes, deixando o local na sequência. Vídeos postados nas redes sociais mostram passageiros em pânico saindo do trem para a plataforma.

No local do ataque, os investigadores encontraram uma bolsa com uma arma 9 milímetros semiautomática, além de outro revólver, uma machadinha e fogos de artifício. O atirador foi descrito pela polícia como um homem negro e corpulento, de cerca de 1,65 m de altura e 80 kg. Ele estaria usando uma máscara de gás, um colete laranja de construção e roupa azul-escuro semelhante à de um trabalhador de trânsito.

Foi oferecida uma recompensa de US$ 50 mil por informações que levem ao suspeito.

O incidente ocorreu na estação da Rua 36, no bairro de Sunset Park, cuja população é, em sua maioria, formada por asiáticos e hispânicos. A área é conhecida por abrigar Chinatown e Industry City, um amplo distrito de armazéns que se tornou o lar de muitos negócios.

O ataque fez com que as autoridades de transporte suspendessem o funcionamento de linhas inteiras do metrô ou, em alguns casos, de parte delas.

Nesta quarta, quando os trens voltaram a parar na estação do ataque, o prefeito Eric Adams ainda buscou reforçar que o sistema de transportes de Nova York é um ambiente seguro.

“Eu estaria no metrô hoje, se não estivesse quarentenado [por causa da Covid]”, disse. O ataque desta terça se deu em meio a um cenário de crescente violência no sistema metroviário da cidade americana, o que já pressionava as autoridades locais por medidas que promovam a segurança pública.

Relatório divulgado pela Autoridade Metropolitana de Transportes (MTA, na sigla em inglês) em janeiro mostra que os assassinatos nesse ambiente cresceram 33% em 2021 em comparação com o ano anterior.

Por Folha de São Paulo

Related Articles