Em Jordão, mulher acusa vereador de destruir obra da construção de sua moradia; parlamentar alega ser o dono do terreno

    Por Estado do Acre

    Sebastiana Lima de Farias, mãe de duas crianças e desempregada, acusa o vereador Sivaldo Sereno Barbosa, do município de Jordão, no interior do Acre, de destruir a construção de sua casa. A “futura” moradia citada está localizada na Rua José Siqueira de Figueiredo, no terreno que é reivindicado pelo acusado e pelo pai das filhas da mulher. Segundo Sebastiana, o Bossa, como é conhecido o pai das filhas dela, estava no local fazendo a obra, quando foi surpreendido pelo vereador e dois irmãos dele, que destruiu a construção de madeira, confome consta no Boletim de Ocorrência registrado na DP da cidade.

    Boletim de Ocorrência registrado contra o vereador

    Vídeos obtidos pela reportagem mostra que a casa de madeira já estava armada, no ponto para ser coberta. Também é possível ver um homem no alto da construção derrubando os caibros.   Outro vídeo  mostra a madeira sobre o  chão,  restando apenas os barrotes em pé.

    https://youtu.be/CYVT5oDLT8A

    https://youtube.com/shorts/JpDwYbig2E8?feature=share

    Questionado pela reportagem do site www.estadodoacre.com.br , o vereador Sivaldo Sereno Barbosa disse que o terreno é de sua propriedade. Inclusive encaminhou o documento assinado pelo prefeito Naudo Ribeiro, datado do mês de fevereiro de 2022, doando o lote para o vereador construir uma moradia. ” Eu moro na Aldeia. Procurei o setor de terras  da Prefeitura, e o lote não tinha dono. Então, me doaram para eu construir meu tapiri. Eu fiquei zelando pelo terreno até tirar minha madeira, depois vi que o senhor Bossa, começou a construir a casa no meu terreno. Eu o procurei de formar amigável, mas ele não quis acordo”, afirma o vereador.

    “A casa não é da mulher, mas sim do Bossa. Eu também tenho direito a ter minha casa. Nunca tirei ou vendi um terreno na cidade”, afirma o parlamentar.

    Veja o documento do vereador

    Sivaldo Barbosa

    Depois de a mulher registrar o BO, a Polícia Civil esteve no local e embargou a construção.

    - Publicidade -