26 de maio de 2022

Prefeitura de Cruzeiro do Sul segue apoiando mais de 500 famílias desabrigadas pela cheia no Juruá

Por

 

Gestão disponibiliza alimentação completa e diária, abrigos separados por família e atendimentos que vão desde a saúde até o lazer

Desde o dia 24 de fevereiro, quando as primeiras pessoas desabrigadas pelas águas do Rio Juruá chegaram aos abrigos montados pela Prefeitura de Cruzeiro do Sul, as equipes de várias secretarias seguem trabalhando no apoio às vítimas de mais uma grande alagação. Hoje, já são mais de 500 famílias que, diariamente, recebem apoio, alimentação e os mais variados tipos de serviço, que vão desde os atendimentos de saúde até o lazer. Foi montado um planejamento que envolve vários profissionais e que coloca à disposição boa parte da estrutura municipal.

Os abrigos estão montados em escolas do município e do estado. Cada um dos abrigos possui um coordenador que organiza os atendimentos e atividades.
“Estamos fornecendo todo suporte e tentando resolver as demandas que surgem, como colchões e materiais de limpeza. Diariamente, equipes de saúde vêm realizando os atendimentos necessários, e cada família está ocupando uma sala, o que garante privacidade mínima e dignidade necessária num momento delicado como esse”, explica a secretária de desenvolvimento social, Delcimar Leite.

Com relação à alimentação, a secretária explica como funciona: “Eles recebem café da manhã, almoço e jantar. E as crianças recebem o lanche também. É uma grande demanda que estamos conseguindo manter, com planejamento e muito esforço da gestão”. E seguiu : “Os serviços de saúde são muitos, não param de aparecer demandas e as equipes de saúde atendem 24 horas, inclusive levando para fazer exames”, explicou Delcimar.

Dentro dos abrigos também estão sendo desenvolvidas atividades lúdicas e esportivas, com foco no entretenimento das famílias. As atividades estão sendo promovidas por equipes da secretaria de cultura e esporte e, também, acontecem através de parcerias.

O prefeito Zequinha Lima decretou estado de emergência, que já foi reconhecido pelo governo federal, mas ainda não caiu o recurso na conta do município, que tem mantido a estrutura com apoio do estado e de instituições e, claro, com recursos próprios.

“Nada é mais importante para nós do que amenizar o sofrimento dessas pessoas. E para conseguirmos manter, por tantos dias, toda a estrutura, precisamos de toda ajuda possível, além de muita disposição e planejamento. E isso não vai faltar”. E continuou: “Tenho que agradecer todos os parceiros, em especial o governador Gladson Cameli que sempre está nos apoiando. Sei que juntos vamos conseguir passar por mais essa grande alagação que tanto transtorno tem causado para todos, especialmente, para essas famílias desabrigadas”, finalizou Zequinha Lima.

Related Articles